A EXCESSIVA PODA DE ÁRVORES EM VILA DO CONDE

COMUNICADO
15/12/2019

O Núcleo do FAPAS de Mindelo tem efetuado algumas ações que visam a sensibilização dos órgãos autárquicos de Vila do Conde, para a necessidade de contribuirmos – com o que estiver ao nosso alcance – para a reverter e ou mitigar, o que, até agora, temos feito contra a natureza e, por consequência, em detrimento da nossa própria sobrevivência.

Estivemos na frente da contestação ao que está a ser executado, nas costas dos cidadãos e das próprias juntas de freguesia, pelo Executivo camarário, na Reserva Ornitológica de Mindelo, e continuamos a estar. Um autêntico atentado ao nosso património natural assim como à total descaraterização da Reserva enquanto espaço privilegiado para a conservação e estudo das aves. Desenvolvemos os contactos que entendemos necessários para tentar reverter as decisões, entretanto tomadas, pela Câmara Municipal de Vila do Conde. Os contactos que privilegiamos, e continuamos a tentar privilegiar, são com o Executivo camarário que, infelizmente, deixou de nos receber assim como de responder às nossas solicitações.

Contestamos, publicamente, a atribuição do estatuto de Interesse Público a uma empresa que labora na Reserva Agrícola Nacional, no Concelho de Vila do Conde, há mais de vinte anos de forma, tudo indica, ilegal, havendo suspeitas de ligação direta e indireta a um elevado número de cancros ocorridos na área circundante, desvalorizados pela Direção Geral de Saúde.
Estas, e outras frentes, continuam a ter a nossa atenção e o nosso maior empenho no sentido de levar o poder político a agir em conformidade perante as anomalias registadas, levando em linha de conta todas as diligencias necessárias para que não se aja contra a lei e ou contra o interesse comum de todos os cidadãos.

Neste momento, entendemos que devemos intervir mais uma vez na defesa daquilo que nos é mais caro: a Natureza e o que dela emana. O Executivo deliberou diminuir as copas das árvores ornamentais da cidade. Uma decisão que até nos parece aceitável desde que fosse executada de acordo com os procedimentos corretos e que não expusesse as árvores a um stress desnecessário e nocivo para a sua saúde. Porém, o que se está a ver na Av. Júlio Graça, em Vila do Conde, é a quase total remoção da copa. Atendendo a que não terá havido (pelo menos não há conhecimento público) um estudo fitossanitário e de segurança das árvores que fundamentasse os cortes radicais que estão a acontecer na cidade, tudo leva a crer que se pratica, mais uma vez, um ato impensado e totalmente despropositado assim como inteiramente desprovido de competências técnicas que a Câmara Municipal tem.
Sendo assim, só resta uma explicação; o Executivo não lida bem com a defesa dos interesses naturais e de saúde ambiental de Vila do Conde.

Neste contexto, decidimos avançar com uma ação que visa sensibilizar e informar todos aqueles que puderem estar connosco na iniciativa a realizar no dia 18 de Dezembro corrente, às 18h, na Av. Júlio Graça em Vila do Conde.

Mindelo, 15/12/2019
O Coordenador do Núcleo do FAPAS de Mindelo,
Vítor Gonçalves
Contacto: 962 484 481

Pretende saber mais informações, contacte-nos

  • (*) RGPD (REGULAMENTO GERAL SOBRE A PROTEÇÃO DE DADOS - EU 2016/679)
    Os dados pessoais aqui recolhidos, para efeito de envio de informações e (no caso dos sócios efetivos) quotização, serão guardados enquanto a relação de associado se mantiver. Se pretender que os dados sejam corrigidos, restringidos ou eliminados, deve contactar o FAPAS, via email, para fapas@fapas.pt, ou através de carta registada para a morada indicada no rodapé desta página.
  • Este campo é para efeitos de validação e deve ser mantido inalterado.