Azorina vidalii (Vidália)

– cor das flores desde esbranquiçada a rosa
– encontra-se em falésias costeiras, por vezes em muros
– folha glabra (sem pelos)

Embalada pelas ondas Atlânticas ao sabor da maresia, a Vidália (Azorina vidalii) vive arraigada nas arribas e escarpas rochosas da costa Açoriana. Pensa-se que a primeira ilha a colonizar foi Santa Maria há cerca de 8 milhões de anos. Nos dias de hoje, para além das falésias costeiras e escarpas basálticas pode ser também encontrada em zonas mais urbanas, nomeadamente em habitats de substituição como telhados de casas ou muros de pedra.

O seu aspeto frágil e delicado contrasta com as condições às quais resiste, exposta a ventos fortes, tempestades, altas concentrações salinas e parco substrato onde se agarrar. Floresce entre Abril e Setembro, e pode ser polinizada por abelhas (Apis mellifera), borboletas (Macroglossa stellatarum), mas também por outra ilustre habitante das ilhas, a lagartixa-da-Madeira (Teira dugesii).

Considerada “Em Perigo” pela IUCN, talvez a maior ameaça à vidália (tal como acontece com grande parte das nossas endémicas) é a invasão de espécies exóticas. Estas, competem com os mesmos recursos da vidália e ocupam o seu habitat, acabando por a substituir completamente. Dado o seu estatuto de conservação, e também a importância que tem para o ecossistema das ilhas, recentemente foi criado um projeto LIFE que procura proteger e restabelecer as populações de vidália nos Açores. Podem saber mais na sua página no facebook:
https://www.facebook.com/LIFE.VIDALIA/

Com o Verão à porta, e a vacinação a aumentar, o país começa lentamente a desconfinar. Como tal, as espécies que podemos encontrar (e que o Almanaque quer registar) já não são apenas as que podemos encontrar em passeios curtos perto de casa. É por isso que, acompanhando o resto do país, o Almanaque vai também desconfinar! Para a semana chega ao fim a edição (em) confinamento do Almanaque. Não percam!

Referências:

http://hdl.handle.net/10400.3/3465

http://hdl.handle.net/10400.3/3906

Pretende saber mais informações, contacte-nos

  • (*) RGPD (REGULAMENTO GERAL SOBRE A PROTEÇÃO DE DADOS - EU 2016/679)
    Os dados pessoais aqui recolhidos, para efeito de envio de informações e (no caso dos sócios efetivos) quotização, serão guardados enquanto a relação de associado se mantiver. Se pretender que os dados sejam corrigidos, restringidos ou eliminados, deve contactar o FAPAS, via email, para fapas@fapas.pt, ou através de carta registada para a morada indicada no rodapé desta página.
  • Este campo é para efeitos de validação e deve ser mantido inalterado.